quinta-feira, 14 de abril de 2016

CURSOS CPA10 E CPA20 ESTÃO SENDO COBRADOS DOS CAIXAS.

14.04-16.31hs
Entendemos a revolta de alguns funcionários que, assoberbados pelas inúmeras cobranças entendem que a certificação acima é um exagero por parte de suas chefias.
Isso é um engano!
Estas certificações estão sendo cobradas desde 2007 pelo Banco Central, que elaborou este teste para saber se os bancários brasileiros podem agir como tal e se reúnem condições suficientes para vender produtos do banco.
Ou seja, a partir de um determinado momento todos os trabalhadores bancários deverão possuir esta certificação nacional para trabalhar nas instituições financeiras.
Está enganado o funcionário que acha que está tranquilo em seu posto de trabalho e que sabe tudo sobre o ofício, pois os bancos estão com a faca e o queijo nas mãos e ao menor sinal do BC estará liberado demitir quem não tenha uma certificação aprovada por aquele banco.

Não espere para ver, procure melhorar seu currículo, invista em conhecimento, pois em caso de demissão, outro banco poderá acolhê-lo com facilidade.

O SINDICATO FEZ ACORDO PARA DEMISSÕES NO BRADESCO?

14.04-16.30hs
Esse é um dos absurdos que o sindicato ouve quando adentra o expediente de um banco daquela instituição financeira.
Qual o poder que temos para negociar saída de funcionários, quando nossa pretensão é exatamente contrária a essa agressão que sofremos? Em nossa minuta que elaboramos anualmente, está muito claro que nosso desejo é aumentar o número de trabalhadores dentro das agências.
O fantasma da compra do banco HSBC talvez seja o motivo deste questionamento, pois com o fechamento de algumas agências daquele banco, alguns funcionários ficarão sem local de trabalho e as demissões acontecerão, como já aconteceram em situações passadas idênticas à vivida neste momento.
O trabalhador precisa deixar de acreditar em conversas de chefias mal intencionadas, que saem falando besteiras para tentar mais uma vez desacreditar a instituição representativa do grupo de trabalhadores ainda conhecida como bancários.
A Fenaban (Federação dos Bancos) disponibilizou seu negociador para apoiar os parlamentares na empreitada de terceirização da mão de obra, inclusive a dos bancos que é considerada atividade-fim. Logo, se o movimento sindical não conseguir provar nosso verdadeiro valor, seremos substituídos por trabalhadores que serão assalariados pelo menor valor possível, de acordo com o contrato que o banco fizer com uma prestadora de serviços.
O projeto já foi encaminhado para o senado e pode ser analisado/julgado a qualquer momento.

Nosso ideal é defender o trabalhador bancário brasileiro!

NÃO QUEREMOS IMPEDIR QUEM QUEIRA PRODUZIR.

14.04-16.29hs
Deixamos isso bem claro em uma reunião especifica do banco Santander, que falava sobre as metas aplicadas sobre o setor administrativo do banco, refletindo diretamente nos caixas e seus superiores imediatos.
Somos da opinião que se algum funcionário desejar vender produtos, principalmente na bateria dos caixas, não encontrará resistência deste sindicato.
O que não podemos é entrar em bola dividida, onde internamente o funcionário diz que aceita vender os produtos e depois reclama para o sindicato que está descontente com sua situação dentro do banco.
Ponderamos que a função de caixa vendendo produtos do banco caracteriza desvio de função, logo o trabalhador deve executar apenas uma delas e se a opção for pelas vendas, aconselhamos que o trabalhador feche seu caixa e faça as vendas ou as ofertas dos produtos em um balcão desvinculado da primeira função.
Logicamente o banco terá olhos mais carinhosos por aqueles que aceitarem esta determinação, mas o que não pode acontecer é que todos sejam igualados pela iniciativa tomada por um e aconteçam perseguições.

Estamos aqui para defender desde o menor funcionário até o maior na hierarquia bancária, mas não dá para fechar os olhos para as injustiças.

BANCO SANTANDER DIZ QUE NÃO ORDENA METAS PARA CAIXAS.

14.04 -16.28hs
Atendendo um documento elaborado por este sindicato, que denunciava a cobrança de metas para GAs, tesoureiros e caixas, contrariando circular interna do banco, abordamos um assunto que gerou uma conversa um pouco mais aprofundada com o banco.
Em nenhum momento o banco admitiu que esta orientação fosse passada por sua diretoria executiva e que a circular enviada a todas as agências falava bem claro sobre o impedimento da cobrança de metas, principalmente dos caixas.
Ato contínuo, o banco entrou em contato com a Regional de Sorocaba e ouviu da pessoa responsável pelas cobranças, que nenhuma ordem neste sentido partiu daquela regional.
Como de costume o banco nega qualquer procedimento inverso ao acordado entre as partes e diz que isso deve ser iniciativa do GG da agência.
Sabemos que todos os caixas e tesoureiros estão sendo cobrados pelos GAs para efetuarem as vendas, já que a cobrança recai sobre seus ombros e é impossível vender produtos, correndo de um lado para outro apagando incêndios e problemas internos.
Quero dividir este assunto com todos e peço que conversem com os demais funcionários sobre este respeito, pois se para o banco a atitude é irregular, alguém aqui embaixo esta cometendo uma injustiça muito grande contra os funcionários.
Fique atento, cuidado com as ordens recebidas, afinal negar para o banco é muito fácil agora é preciso ter cara dura para continuar cobrando dos demais trabalhadores.

Qualquer divergência sobre este assunto procure pelo sindicato!

quinta-feira, 31 de março de 2016

AGORA A CULPA DA CRISE É DO SINDICATO.

31.03-15.50hs
Temos vários motivos para estar atentos aos acontecimentos políticos do país.
Um deles é a tentativa patronal de destruir toda e qualquer forma de sindicalismo no Brasil.
Iniciativas como a tentativa de cancelamento do desconto sindical é um dos exemplos.
Qualquer que seja a categoria profissional existe um sindicato preponderante e para sua existência são duas as possibilidades, sindicalização do trabalhador ou o desconto assistencial (aquele pós-campanha) e o sindical que é obrigatório para todo o trabalhador no mês de março.
Em nosso caso por ordem jurídica, não descontamos o assistencial.
Somos da opinião que se todo trabalhador fosse sindicalizado, não seria necessário nenhum outro tipo de contribuição.
Diante da crise política, outra velha prática está sendo utilizada, como a elaboração de cartas de cancelamento sindical, com teor idêntico.

Estão querendo imputar a culpa da política partidária ao meio sindical e essa será a maior injustiça cometida contra os trabalhadores brasileiros, infelizmente com a participação do mesmo, pois alguns insistem em acatar as ordens como se fosse correto destruir o movimento sindical profissional.

VENDENDO BANCO POR TELEFONE.

31.03-15.49hs
Já comentei antes e fiz novamente.
Atendi ao telefone da minha casa e uma pessoa insistente queria vender um produto de um banco ao qual não tenho conta.
Em outras oportunidades fui delicado, disse que não precisava de nenhum outro produto, afinal sou funcionário de um deles. Mas as ligações se sucedem, diariamente e com muita insistência.
Então resolvi virar o jogo e me identifiquei como sindicalista interessado na jornada de trabalho daquela contratada. Perguntei a qual categoria ela pertencia, se era bancária?
A resposta foi negativa e que ela havia sido contratada, que não trabalhava em banco, portanto não poderia ser bancária.
E foi como num passe de mágica, quando disse a ela que executando vendas pelo banco poderia ser bancária, mas que por ganância das instituições financeiras, ela era terceirizada porque custava menos para o banco e que ela estava perdendo tíquete alimentação e refeição, auxílio creche/baba, convênio médico/dental e a PLR.
Pronto! Enfiei um prego na cabeça daquela moça, que agradeceu minha atenção e encerrou a ligação.

A explicação é simples, só não entende quem não quer! 

SEGURO BRADESCO NÃO FUNCIONA NA BASE TERRITORIAL DE SOROCABA.

31.03-15.48hs
Se você é usuário do seguro Bradesco e está em Sorocaba não encontrará nenhuma dificuldade.
Agora, se estiver nas cidades vizinhas, à coisa complica muito.
Precisando de um atendimento específico, você procura pela lista credenciada e usando o telefone entra em contato para marcar uma consulta. Neste momento começam seus problemas, pois a resposta que recebe da atendente é a de que aquele profissional não atende mais este plano de saúde.
As piores cidades em termos de credenciamento: São Roque, Itapetininga, Itu, depois Salto e sucessivamente todas as demais de pequeno porte, com poucos habitantes e este é o maior motivo pela falta de credenciamento.
Recentemente um cidadão pediu para ser visitando por um representante do plano de saúde, pois tinha interesse em tranquilizar seus familiares. O representante do plano de saúde chegou pedir R$ 1.500,00 por pessoa, o mesmo preço pedido para uma ex-funcionária do banco afastada e aposentada por doença ocupacional, para não atender à solicitação, pois plano individual não interessava ao banco, dizia ele.

Como integrante da diretoria da Federação dos Bancários de SP/MS, afirmo que a dificuldade é a mesma nas demais 23 bases dos demais sindicatos que compõe aquela entidade.