segunda-feira, 31 de agosto de 2015

BANCO ITAÚ REVISTA FUNCIONÁRIOS AO SAIR DAS AGÊNCIAS.

31/08 - 19.13hs
Já verificamos e é verdadeira a denuncia de que o banco está revistando funcionários.
A atitude consiste em averiguar as bolsas ou sacolas de funcionários que deixam as instalações do banco, para impedir que alguém possa estar sendo vitima de sequestro e levando dinheiro escondido em seus pertences. Essa pratica tem sido usada por alguns dias em uma agência, depois em outra e assim promove-se um rodízio de revistas, mas quando o sindicato toma conhecimento da revista, aquela agência já não está mais praticando a dita vistoria.
Fico imaginando a cena do vigilante pedindo para o funcionário abrir sua bolsa ou sacola, na presença de clientes que circulam pelo interior do banco, no mínimo chamarei de “denegrir a imagem do profissional bancário” que ao ser  revistado, o mesmo fica mal visto pelo cliente, como uma pessoa não merecedora de confiança.
Também quero afirmar que em nenhum momento foi feito uma tentativa de ajuste prévio com o sindicato, ou seja, uma conversa para justificar o injustificável.

A revista tem sido feita pelos vigilantes (sob orientação do banco) na porta de saída do ambiente de trabalho, sem nenhuma discrição ou civilidade, as vistas de qualquer pessoa que estiver no local.

BRADESCO PROCURANDO ALTERAR CARGOS DE SINDICALISTAS.

31.08 - 19.12hs
São cinco os dirigentes sindicais que foram procurados para alterar a nomenclatura dos cargos e o interessante que todos “para baixo” e quando o cargo é de caixa, disseram que era uma promoção para pré-atendente de autoatendimento.
O RH do banco ainda não se pronunciou, mas com a proximidade da campanha salarial, não passa outra coisa por nossa cabeça que uma atitude antissindical, ou perseguição sindical para inibir o quadro quanto as possíveis paralisações por motivo das negociações que já se iniciaram.
Não existe maior evidencia de perseguição ao sindicalista, de que quando o banco descobre que o trabalhador pertence ao quadro de diretoria do sindicato, este já é deixado de lado e de preferência em um canto onde o acesso aos colegas fica prejudicado ou simplesmente retiram sua função e o colocam na recuperação de crédito. Depois vem a famosa frase “justo agora que íamos te promover!”

Estamos aguardando resposta do banco, mas caso ela demore chegar, daremos entrada em processo de pratica antissindical. 

ITAÚ DEMITIU 08 FUNCIONÁRIOS NAS ÚLTIMAS DUAS SEMANAS EM SOROCABA.

31.08 - 19.11hs
O Banco Itaú-Únibanco demitiu oito funcionários nos últimos dias em nossa região e as homologações foram feitas aqui no sindicato.
O banco divulgou entre seus acionistas afirmando que em aproximadamente 10 anos, trabalharão com a metade de agências que possuem hoje, e quem afirma isso é o Executivo Marco Bonomi responsável pela área de varejo do banco.
Já Roberto Setubal afirmou que o Itaú não foi agressivo na disputa pelo HSBC, pois deixou de investir em agência de tijolo físico, fazendo menção às agências virtuais (são 44 agências que atendem aproximadamente 254 mil clientes).
Hoje 36% do resultado da área de varejo são gerados pelo móbile ou pela internet. Até 2012, 83% dos resultados do banco eram por intermédio dos gerentes, hoje este rendimento caiu para 46%, elevando as transações ditas “eletrônicas“.
Nesta condição o banco garante atendimento das 7 horas da manhã até a meia noite e para os clientes personnalité é exigido um mínimo de investimento na ordem de 100 mil reais.

O funcionário Itaú precisa ficar atento aos movimentos do banco, que ora premia os melhores, mas ao final do processo muitos perderão o emprego, afinal trabalhar com a metade das agências existentes hoje, significa demissões futuras.

ANIVERSÁRIO DOS BANCÁRIOS. VOCÊ SABE POR QUÊ?

31.08 - 19.09hs
Em 1951, quando os bancários reivindicavam reajuste salarial de 40% sobre os salários e no anuênio, os banqueiros negaram esta solicitação e foi criado o impasse, que gerou uma greve de 69 dias.
Alguns estados já haviam aceitado a contraproposta patronal e criticaram a greve paulista, que seguiu forte até seu julgamento que concedeu um reajuste de 31%. Naquele tempo, alem da pressão dos próprios trabalhadores bancários que aceitaram a contra proposta patronal em outros estados, tinha o agravante da pressão feita pelo DOPS, que não tinha boa fama.
A data então ficou instituída para 28 de agosto, que é comemorada nacionalmente.
De lá para cá a categoria bancária colecionou várias conquistas, como a jornada de 6 horas diárias, os tíquetes, os convênios médico/odontológico, o vale-cultura e o mais significativo, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), entre outros.
Hoje, passados 64 anos, muito pouco restou da história ou poucos podem conta-la e 99% da categoria profissional que é composta por jovens com pouco mais de 20 anos, desconhecem por completo o trabalho sindical, as conquistas adquiridas no período e ainda dizem que o banco é que propicia os benefícios recebidos mensalmente através dos holerites.
Um detalhe muito importante é que quando falamos em anuênio, no início desta matéria, era um direito adquirido e para cada ano de permanência na categoria garantia um valor que acrescia a folha de pagamento mensalmente.
Através de um plebiscito onde todos os bancários votaram, este benefício foi trocado por R$ 1.100,00 e que com a mordida do IRRF foi reduzido para aproximadamente R$ 950,00 e deixou de ser uma conquista. Os mais velhos de categoria lamentam este episodio todos os dias.

Fica aqui o registro de que podemos perder benefícios conquistados, como ainda duvidam alguns céticos, que preferem desacreditar o sindicato de ser o responsável por todo o avanço profissional que obtivemos até os dias atuais!

POR QUE RESISTIR A SINDICALIZAÇÃO!

31.08 - 19.07hs
Encontramos alguns resistentes que inexplicavelmente resistem à sindicalização, com alegações de:
-Não uso o sindicato;
-Não preciso do sindicato para nada;
-Não tenho interesse;
-Já sou dependente de meu cônjuge;
-Não posso gastar, estou endividado;
-Não gosto de política;
-Não quero fazer parte disso;
Estas são algumas alegações, que não justificam nem nunca justificarão um motivo para não ser filiado. Nossas conquistas são ratificadas anualmente sob-risco de perdermos qualquer uma delas, em caso de não renovação, então como não usa?
Ser sindicalizado é acreditar na entidade que negocia seu salário, seus benefícios que já são pagos em holerite e o fazemos diariamente.
Alguns não sindicalizados acionam a entidade para resolver seus problemas nos bancos, acreditam em nosso poder de negociação, mas não se filiam por alegar não fazer uso de nada.
Todos os trabalhadores bancários, sindicalizados ou não fazem uso de nossas conquistas e o correto seria não pagá-las para quem não participa da entidade representativa, aí sim seria justo.
Então perguntamos, porque não ser sindicalizado? Se não fosse bom, os bancos não se preocupavam tanto quando divulgamos seu nome nos manifestos que fazemos na porta das agências.

Para finalizar, a Certificação Internacional SA8000 não incluiria em suas exigências o bom relacionamento com as entidades sindicais, sabendo das brigas eternas que travamos com um dos mais ricos patrões do mundo, os banqueiros!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

ENFRAQUECIMENTO SOCIAL – DESCONHECIMENTO DAS CONQUISTAS.

21.08 - 01.22hs
Mesmo antes de a grande maioria dos bancários que trabalham nos bancos hoje em dia, a categoria profissional bancária conquistava benefícios, graças ao desempenho daqueles que no passado brigaram por elas.
Muitos perderam seus empregos, entraram em outros bancos e perderam o emprego novamente e entraram em outro banco e em outro, afinal eram muitas as instituições financeiras existentes no país.
As conquistas foram se sucedendo e a jornada de seis horas, o pagamento da PLR, os auxílios creche/baba, os tíquetes alimentação e refeição, o convenio médico/dental foram algumas das que destacamos nos últimos anos.
Então os mesmos jovens que hoje ocupam vagas de trabalho nos bancos, por desconhecer estas conquistas não dão valor a história sindical da categoria bancária e alegam não usar o sindicato, para cancelar sua filiação.
Este “não uso” é com referencia ao clube (academia, piscinas, quadra), ao camping e colônia de férias, farmácia, por exemplo, mas nunca se lembram das conquistas, afinal elas estão embutidas no holerite e ninguém percebe.

Quando ouvimos “eu não uso o sindicato”, conseguimos ver claramente a ignorância por parte daquele que desconhece toda uma existência de conquistas vitoriosas.

ENFRAQUECIMENTO SOCIAL – CRÍTICAS AOS SINDICATOS.

21.08 - 01.21hs
Por diversas vezes os políticos dizem que é preciso o envolvimento da sociedade brasileira em torno dos problemas que afligem o cidadão.
Os sindicatos são exatamente este caso, o de envolvimento social, assim como as associações, as Ongs, os grupos e as igrejas.
Porem a política também tem seu lado vingativo e se não pode ser situação, faz de tudo para derrubar aquele que assumiu o governo.
Em um país onde o domínio foi extremamente de direita, quando a esquerda assumiu houve uma manifestação contraria por parte do primeiro.
Agora, o que não podemos é generalizar e considerar que somos todos iguais e é este o fator importante no momento em que vivemos no país.
Todos os sindicatos estão sendo perseguidos pela mídia e de alguma forma criticados, como se todos fossem iguais e corruptos.
Se alguém conseguir apontar um único segmento da sociedade onde não existam os escândalos de corrupção ou de maus profissionais.
Os sindicatos, cada qual tem seu valor e seus créditos e se existem os maus administrados ou inoperantes, devem ser penalizados, assim como todos os corruptos e corruptores.
Enfraquecer uma entidade de classe é tirar o poder de negociação de uma categoria. O sindicato dos bancários de Sorocaba e região estão impedidos de arrecadar o imposto assistencial (aquele recolhido após as negociações salariais, que repõe os gastos de campanha) por uma decisão do Ministério Público da cidade, que nunca procurou por nossa entidade para saber o que fazemos com o dinheiro arrecadado dos associados.

Somos um sindicato forte e o único meio de sermos prejudicados é diminuir as formas de arrecadação que temos. Isso já foi feito!